Artigos e Opiniões
12 de agosto de 2020
MicroStrategy adota Bitcoin omo principal ativo de reserva.

MicroStrategy adota Bitcoin omo principal ativo de reserva.

A MicroStrategy® Incorporated (Nasdaq: MSTR), maior empresa independente de inteligência de negócios de capital aberto, anunciou hoje a compra de 21.454 bitcoins a um preço agregado de US$250 milhões, incluindo taxas e despesas. A aquisição da criptomoeda foi feita seguindo  a estratégia de alocação de capital em duas vertentes, previamente anunciada pela empresa em 28 de julho de 2020.

Ao tornar-se proprietária de 21 mil bitcoins, a MicroStrategy abordou sua nova estratégia de alocação de capital, que previa o investimento de até US$ 250 milhões em um ou mais investimentos ou ativos alternativos.

“Nosso investimento em Bitcoin é parte de nossa nova estratégia de alocação de capital, que busca maximizar o valor de longo prazo para nossos acionistas”, disse Michael J. Saylor, CEO da MicroStrategy Incorporated. “Este investimento reflete nossa crença de que o Bitcoin, como a criptomoeda mais adotada no mundo, é uma reserva de valor confiável e um ativo de atraente investimento com maior potencial de valorização a longo prazo do que a reserva em dinheiro. Desde a sua criação, há mais de uma década, o Bitcoin surgiu como uma adição significativa ao sistema financeiro global, com características úteis tanto para indivíduos quanto para instituições. A MicroStrategy reconheceu o Bitcoin como um ativo de investimento legítimo, que pode ser superior ao dinheiro e, portanto, fez do Bitcoin a principal participação em sua estratégia de reservas de tesouraria.” 

Saylor acrescentar, “A MicroStrategy passou meses deliberando para determinar nossa estratégia de alocação de capital. Nossa decisão de investir em Bitcoin neste momento foi impulsionada, em parte, por uma confluência de fatores macro que afetam o cenário econômico e de negócios que acreditamos estar criando riscos de longo prazo para nosso programa de tesouraria corporativa - riscos que devem ser tratados de forma proativa. Esses macro fatores incluem, entre outras coisas, a crise econômica e de saúde pública precipitada pela COVID-19, medidas de estímulo financeiro sem precedentes feitas pelo governo-  incluindo flexibilização quantitativa adotada em todo o mundo-, e a incerteza política e econômica global. Acreditamos que, juntos, esses e outros fatores podem ter um efeito depreciativo significativo sobre o valor real de longo prazo das moedas fiduciárias e sobre muitos outros tipos de ativos convencionais, incluindo muitos dos ativos tradicionalmente mantidos como parte das operações de tesouraria corporativa.”

Ao considerar várias classes de ativos para investimento potencial, a empresa observou propriedades distintas do Bitcoin que a levaram a acreditar que tal investimento forneceria não apenas uma proteção razoável contra a inflação, mas também a perspectiva de obter um retorno maior do que outros investimentos. O CEO articulou, ainda, a opinião: “Consideramos a aceitação global, o reconhecimento da marca, a vitalidade do ecossistema, o domínio da rede, a resiliência arquitetônica, a utilidade técnica e o etos da comunidade do Bitcoin como evidências persuasivas de sua superioridade como classe de ativos para aqueles que procuram uma reserva de valor de longo prazo. Bitcoin é, sim, ouro digital - mais difícil, mais forte, mais rápido e mais inteligente do que qualquer dinheiro que o precedeu. Esperamos que seu valor seja agregado com avanços em tecnologia, expansão da adoção e o efeito de rede que alimentou o aumento de tantos destruidores de categorias na era moderna.”

Líder no segmento de business intelligence, a MicroStrategy tem uma história de 30 anos de antecipação de tendências de tecnologia, sendo uma das primeiras companhias no setor de software de business intelligence empresarial. Foi pioneira em Relational Analytics, Web Intelligence, Mobile Intelligence e, mais recentemente, inventou o HyperIntelligence® - zero click insights, que pode ser incorporado a aplicativos para torná-los mais inteligentes, rápidos e fortes.

Em 2012, Michael Saylor escreveu “The Mobile Wave”, abordando o impacto que a computação móvel teria sobre os negócios, o consumidor e a relação entre o comportamento político e as implicações da ascensão da Apple, Google, Facebook, Amazon e Twitter. A MicroStrategy acredita que o mundo está entrando na “Onda Virtual” - uma rápida desmaterialização de produtos, serviços e processos, possibilitada por avanços em tecnologia e catalisada pela crise do coronavírus. Há, na instituição, a crença de que a transformação digital se acelerou em meio a mudanças rápidas nos requisitos do mercado. Essa dinâmica faz com que muitas empresas repensem suas ofertas, operações e sistemas, bem como seus balanços e estratégias financeiras.

 

“A MicroStrategy continua focada em sua estratégia corporativa de operar uma empresa de business intelligence lucrativa em crescimento, servindo algumas das maiores instituições mais respeitadas em todo o mundo. Essa estratégia inclui buscar aumentar sua receita por meio de suas ofertas de HyperIntelligence, Cloud Intelligence e Embedded Intelligence, uma entrada no mercado atualizada com foco em produtos e preços simplificados e um foco de plataforma como serviço em nuvem. O objetivo da MicroStrategy de gerar receita operacional de longo prazo e fluxo de caixa livre também a levou a adotar uma nova estratégia de alocação de capital. A MicroStrategy acredita que a compra de $ 250 milhões em Bitcoin proporcionará a oportunidade de obter melhores retornos e preservar o valor de nosso capital ao longo do tempo, em comparação com o caixa. Nossa estratégia corporativa e estratégia de alocação de capital em duas vertentes são projetadas para beneficiar acionistas, clientes, parceiros e funcionários ”, disse Phong Le, Presidente e CFO, MicroStrategy Incorporated.